Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Pergunta:

Prezado, encontrei seu site no google. Ocorre que, realizei o aumento de carga de monofásico para trifásico do meu apartamento.

Conscientemente, no mês de março não veio minha conta, onde eu questionei.

Não houve solução e novamente em abril não veio minha conta, onde houve nova reclamação.

Depois de uns dias, verifiquei no site, nesta data, e constava a conta de abril e não a de março.

Misteriosamente a conta de março veio mais cara do que fevereiro, sendo que reduzimos mto o consumo.

Observando a conta verifiquei que novamente, uma surpresa, a medição veio de março 671 e abril 672, diferença de 1 kWh.

Meses este que quase não usamos o ar.

Indica ainda o consumo de abril com inacreditáveis 1038 kWh, nunca houve tamanho consumo.

Ou seja, vou ter que parar de usar tudo dente de casa pelo jeito pq esta inviável.

Como poderia me ajudar junto à concessionária

Att,
Sr. R (O nome está oculto para garantir privacidade e evitar exposição do requerente)

--------------------------------------------------------------------------------------------------

Resposta:

Prezado Sr. R,

Noto que o Sr. realizou um aumento de carga de uma instalação monofásica para trifásica. Após o aumento de carga junto a concessionária, as contas de energia elétrica começaram a vir com valores desproporcionais ao consumo costumeiro.

Ainda destaca-se que um aumento de carga envolve troca de medidor (medidor monofásico para trifásico), alterações no padrão de entrada de energia elétrica, passagem de mais cabos de energia no ramal principal secundário (ramal entre o medidor de energia até o apartamento) e, por fim, a adequada distribuição das três fases pelo apartamento.

Neste momento o Sr. tem dois caminhos a seguir:

- Caso esteja certo que não há nenhum problema técnico ou falha na adequação de sua instalação elétrica para o aumento de carga, isto é, caso esteja certo de que o problema que resultou no alto consumo proveio da troca do medidor de energia elétrica da concessionária, o caminho é por vias jurídicas, deve-se ir a advogado de sua confiança para entrar na justiça.

- Caso suspeite, mas não saiba ao certo se é problema exclusivo do medidor de energia, antes de se dirigir ao advogado, a resolução 414/2010 da ANEEL garante a possibilidade de aferição do medidor de energia elétrica em seu Art. 137, abaixo:

"...
Art. 137. A distribuidora deve realizar, em até 30 (trinta) dias, a aferição dos medidores e demais equipamentos de medição, solicitada pelo consumidor.
..."

O serviço de aferição do medidor será cobrado caso não seja constatado defeito no medidor de energia elétrica pela concessionária.

Existe um outro caminho a ser seguido, que é um caminho um pouco mais caro. Nesta solução faz-se a contratação de um especialista técnico (devidamente cadastro e certificado no CREA-RJ), que fará a inspeção e vistoria das instalações elétricas, verificará se há fuga de energia elétrica ou avaria nas instalações, realizará testes no medidor e , no fim, emitirá um Parecer Técnico Prévio (PTP) atestando e justificando a "conformidade" ou "não-conformidade" de sua instalação elétrica.

Caso esteja sua instalação esteja em "conformidade" este Parecer Técnico Prévio (PTP) lhe auxiliará tanto na possível troca do medidor de energia junto a concessionária, quanto terá valor diante do tribunal em caso de um processo judicial vindouro.

Enfim, tenho pouco tempo disponível, espero ter lhe esclarecido de modo mais claro possível suas alternativas para resolução deste problema.

(Lembro que o conteúdo presente neste e-mail de consulta não é confidencial, isto é, caso haja outras pessoas com a mesma dúvida, tanto a pergunta, quanto a resposta podem ser inseridas no site para que ajude outras pessoas com o mesmo problema).

Para dúvidas ou sugestões acesse nosso formulário de contato clicando aqui.